Para o pescador esportivo, a diversidade natural do Brasil é um atrativo muito especial. E não será por acaso que o número de turistas vindos do exterior para praticar a pesca esportiva em nosso país vem aumentando. Quais os maiores desafios, ou pelo menos os mais pesados? Confira em seguida os maiores peixes dos rios e lagos brasileiros!

Dourado

Nativo das bacias dos rios S. Francisco e Paraná, o dourado pode ultrapassar os 20 kg e é um dos prêmios mais cobiçados pelos pescadores esportivos, por seu peso e pela dificuldade em dominá-lo fora de água. A elevada procura vem levando diversos estados a debater leis para a proibição de sua pesca.

Poraquê

Atente bem em seu nome científico: ‘Electrophorus electricus’. Mesmo sem saber latim, dá para perceber o que é isso, certo? Seu outro nome é peixe-elétrico, pois ele realiza descargas elétricas tanto para sua defesa como para atacar suas presas. Pode chegar a 20 kg e se encontra por todo o continente.

Tambaqui

Pode ultrapassar os 35 kg e vive nas bacias do Amazonas e do Paraná. Ele acompanha o ritmo da Natureza, se alimentando nas planícies e nas matas alagadas no tempo da cheia e se recolhendo sem precisar de comer, como um urso hibernando, no tempo da seca. Atenção a sua mordida.

Pirarucu

Para chegar aos 100 kg, o pirarucu come de tudo, desde pescada até cobras ou tartarugas. É um animal típico das águas tranquilas da bacia amazônica.

Jaú

Esse é um dos grandes desafios para os pescadores, pois é pesado e muito enérgico: se fisgar o anzol, pode contar ainda com muito tempo de luta, e prepare-se para seu barco ser arrastado. Pode ultrapassar os 100 kg, mas gosta de águas agitadas e se esconde debaixo de pedras. Procure nas bacias amazônica e paranaica.

Piraíba

Pode chegar aos 200 kg e se encontra desde a Amazônia até a bacia do Araguaia. Um ícone da gastronomia brasileira!