A pesca esportiva de água doce pode variar bastante da experiência de pesca no mar. Seja na praia, no barco ou até em caça submarina, a pesca marinha oferece peixes com características diferentes de seus ‘irmãos’ de água doce. Confira em seguida as principais diferenças.

Peixes de água salgada

Como seria de esperar, os peixes do mar são bem maiores, tal como o meio aquático em que vivem é muitíssimo maior que o rio. São mais diversificados, com mais cor, mais texturas e existem muito mais espécies possíveis de serem encontradas. Eles se movimentam muitíssimo, e geralmente em grandes cardumes; um estudo recente apontou que quase metade das espécies de peixes se deslocam em cardume pelo mar, pois sabem que essa é uma forma de defesa bem eficaz.

Entretanto, e curiosamente, os peixes de água salgada são menos resistentes a pequenas variações em seu habitat, como as variações de temperatura – quase como se fossem répteis que precisam de seu sol.

Quando pescar?

Geralmente se consideram os meses de primavera e verão (de setembro a março) como os melhores para a pescaria de mar. O aquecimento da água leva a que os peixes venham para mais próximo da superfície.

Peixes de água doce

No rio e no lago você encontra animais geralmente menores, mas sempre muito enérgicos; eles retêm mais líquido que os peixes de mar e são mais adaptáveis a diferentes condições.

Quando pescar?

Aqui, a época ideal do ano pode variar dependendo da espécie e também das condições de seu ponto de pesca; no Pantanal e na Amazônia, você deve procurar a época do ano em que o nível das águas baixa, facilitando a deslocação e concentrando o peixe, deixando os animais mais próximos uns dos outros. De uma forma geral, março e abril seriam os meses ideais, mas tenha sempre em atenção a circunstância local.